Engenharia Social

Uma palestra bem interessante, pois lida com o descuido das pessoas em relação ao seu dados e sua privacidade. Um indivíduo bem apresentável, observador, se comunica bem e começa a bater um papo descompromissado. Características como essas definem tanto cidadãos de bem como engenheiros sociais – pessoas mal intencionadas que se aproveitam da inocência dos outros para conseguir o que quiserem. De acordo com o professor Rafael Jaques, que palestrou sobre o tema neste sábado, durante o fisl13, “hoje em dia o dia o alvo do ataque são as pessoas, e não mais os sistemas”. Jaques contou que o engenheiro social escolhe uma vítima após bastante análise. Faz ela sentir-se segura e mescla perguntas inofensivas com outras que carregam segundas intenções. “Começa perguntando se vai chover, na sequência questiona quem é o chefe de um departamento, depois fala sobre futebol, em seguida conversa sobre os horários de alguém, e a partir disso começa a coletar os dados”, explicou. Os motivos que levam alguém a se tornar um engenheiro social são amplos: podem incluir ganância e até espionagem industrial. O palestrante  tetou passar o mal uso das redes sociais, como as pessoas se entregam falando coisas que não precisavam ser mencionadas e que as vezes não nos demos conta que poderia nos prejudicar. Não esqueça que hoje tudo que você escreve e de fácil pesquisa na internet e que alguém pode estar lhe observando e não esqueça que a maior engenheira social é sua Mãe.

fisl106 fisl107 fisl108 fisl109 fisl110 fisl111 fisl112 fisl113 fisl114 fisl115 fisl116 fisl105

Previous Post Next Post

Também recomendamos