Everything Sucks

Na ultima sexta feira dia 16 de fevereiro estreio na Netiflix a mais nova produção original,  diferente de Stranger Things que teve todo um alarde, Everything Sucks  foi algo simples, até porque são duas series com temas e narrativas diferentes mais com um ponto em comum, a nostalgia. Fiquei sabendo da serie através do perfil do instagram da netflix, em uma videio que me trouxe um pouco de nostalgia. Assim como eu, muita pessoas dessa época podem ter essa mesma sentimento, a serie parece um conto de adolescente tentando se descobrir em meios a muitas mudanças mas por trás de tudo isso tem uma boa lição de vida, de amizade e diversão.

 

Foca em um núcleo de jovens estudantes, praticantes de grupos da escola como Teatro e Cinema. O centro da história narra Luke e Kate. Luke é um jovem negro que descobre estar apaixonado por Kate. Já Kate, demonstra certa reclusão e distanciamento. Ambos possuem algo em comum: o pai de Luke deixou a família por iniciativa própria, enquanto a mãe de Kate faleceu não muito tempo, deixando um peso que, vez sim vez não, coloca a jovem moça em uma situação de pressão. Kate é filha do diretor da Escola, um homem divertido e simpático, mas que também demonstra manifestações de luto pelo falecimento de sua esposa, principalmente ao carregar a aliança dourada no dedo, como forma de manter respeito e a memória dela intacta.

A serie se passa em uma cidade chamada Boring, pode geralmente não disponibilizar de imediato sensações interessantes aos seus moradores. Um pequeno município na cidade de Oregon, principalmente com uma alta quantidade de adolescentes, pode provocar na verdade um comodismo e uma certa inércia. No início, tudo indicaria que fosse ser somente uma produção adolescente sem narrativa,  que exprimem um valor maior, até que a série entra em uma questão: a descoberta da sexualidade por parte de Kate, que percebe ter atração física por mulheres. É uma prorrogativa que demanda tanto uma perspectiva mais progressista quanto serve para dialogar sobre o tabu de se abrir e entender que a homossexualidade, principalmente à época que a série narra. O contato que ocorre entre Luke, Kate e os amigos do rapaz, McQuaid e Tyler é quando um incidente ocorre no anfiteatro da escola, frustrando os estudantes mais velhos, que decidem zombar e humilhar os jovens calouros. Tudo muda quando Luke põe uma ideia de fazer um filme com eles à mesa, garantindo assim, um pouco mais de paz. O restante você preciosa ver para conferir. São dez episódios de 30 minutos em media, mas que são leves de se ver em maratona. Consegui acabar a serie em uma tarde.

Previous Post Next Post

Também recomendamos